Anorexia

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 | 16:41 | Por Comente!
A anorexia é um transtorno alimentar caracterizado pelo medo que o paciente tem de ganhar peso. Esse medo pode provocar problemas psiquiátricos graves. A pessoa anoréxica se olha no espelho e se vê obesa, embora esteja extremamente magra. A pessoa que apresenta anorexia pode também apresentar bulimia.

A pessoa que possui essa doença limita severamente a quantidade de comida ingerida, comendo tão pouco quanto possível. Assim, o organismo fica carente de nutrientes, o que pode levar a diversos problemas de saúde.

Com o tempo, problemas como desidratação, anemia, hipoglicemia, insuficiência renal, atrofia muscular, descompasso cardíaco, perda de massa óssea, maior suscetibilidade a infecções, dentre outros, podem ocorrer; aumentando as chances de morte por parada cardíaca e choque hipovolêmico.

Devido aos problemas psicológicos que pode desencadear (ou se acentuar), tal como depressão, não são raros os casos de pacientes anoréxicos que acabam por interromper intencionalmente suas vidas.

As causas deste distúrbio estão relacionadas à soma de fatores como pré-disposição genética, alterações nas concentrações de serotonina e noradrenalina, e a própria imposição de um padrão estético que determina a magreza absoluta como símbolo único de beleza e elegância. Acometendo principalmente mulheres (0,5 a 1,0% delas), os índices de homens com este distúrbio vêm aumentando nos últimos tempos.

O medo de engordar leva a pessoa a buscar várias estratégias para perder peso, como o uso de laxantes e diuréticos, jejuns, vômitos induzidos, dietas mirabolantes e exercícios físicos intensos.  

Como raramente a pessoa anoréxica admite ter problemas, devemos estar atentos caso observemos, entre um dos nossos, comportamentos como:
  • Perda de peso em um curto espaço de tempo, sem motivos justificáveis
  • Olhos fundos
  • Perda de cabelos
  • Preocupação extrema com o valor das calorias dos alimentos
  • Medo excessivo de engordar
  • Depressão, ansiedade e irritabilidade
  • Exercícios físicos intensos e em excesso
  • Isolamento da família e amigos
  • Comer escondido
  • Amenorreia (interrupção do ciclo menstrual)
  • Regressão de características femininas
  • Obsessão pelo peso corporal
  • Recusa em participar de refeições junto à família
  • Pele extremamente seca
  • Saltar refeições
  • Doenças frequentes
  • Fadiga
  • Sono excessivo

Diante da observação desses sintomas, a pessoa deverá ser analisada por um profissional competente, geralmente um psiquiatra, a fim de diagnosticar a doença. Depois de diagnosticada a doença, o tratamento deverá ser iniciado por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogo, psiquiatra, clínico e nutricionista, em razão da complexa interação de problemas emocionais e fisiológicos que esse transtorno alimentar envolve, visando à recuperação gradativa do peso corporal e o equilíbrio emocional através de uma reeducação alimentar.

As terapias individuais, terapia cognitiva comportamental e orientação dos familiares são muito produtivas no tratamento da anorexia. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de remédios específicos prescrito pelo profissional, como antidepressivos que ajudam a aliviar os sintomas de depressão, ansiedade e irritação. Em alguns casos, é necessária a hospitalização do paciente. 

Considerando todos os transtornos causados por esta síndrome, e o fato de que seu tratamento é lento, a prevenção é a melhor arma. Quanto a isso, sabe-se que as chances de um indivíduo desenvolver anorexia são bem reduzidas quando este, desde criança, é estimulado a se alimentar de forma saudável e exercer atividades físicas regularmente.

O tratamento da anorexia costuma ser demorado e difícil, devendo o paciente permanecer com a equipe multidisciplinar mesmo depois da melhora dos sintomas, para que haja prevenção de possíveis recaídas.

*Leia também: Transtornos Alimentares e Depressão
Adolescentes obesas acreditam que ser magro é ser feliz

Referência: Brasil Escola
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: