Trabalho, por Montaigne

terça-feira, 24 de abril de 2012 | 13:02 | Por 5 comentários
Trabalhe para viver, mas não viva para trabalhar.

Michel de Montaigne (1533-1592) era um admirador de Sócrates, e não apenas por motivos intelectuais. "Não há nada mais notável em Sócrates do que ele ter encontrado tempo para aprender a dançar", dizia. O filósofo francês não admitiria o ritmo de vida de um profissional do século 21, multi-tarefa e sem tempo para nada. "Quando eu danço, eu danço; quando eu durmo, eu durmo", escreveu.
"Numa época em que os pensadores valorizavam os escritos longos e difíceis, Montaigne passou a fazer textos curtos. Ele queria resgatar a ideia da filosofia da Antiguidade de guia para a vida das pessoas comuns", afirma o historiador de filosofia Thomas Dixon, professor da universidade de Londres e autor de Science and Religion: A Very Short Introduction (Ciência e Religião: Uma Breve Introdução, ainda não lançado no Brasil).

Neste esforço, Montaigne trouxe à tona um conceito de Cleantes (330 a.C. - 225 a.C.), filósofo grego que ganhava a vida carregando tinas de água, mas preferia trabalhar à noite, e apenas o mínimo necessário, para ter tempo de pensar durante o dia. Ele defendia um conceito muito simples: trabalhe para viver, mas não viva para trabalhar. Você não somente será mais realizado na vida pessoal, como se tornará um profissional mais criativo.

Montaigne também defendia este raciocínio. Dizia que muitas das maiores dificuldades que uma pessoa pode experimentar na vida são imaginárias - só de pensar nos riscos e ameaças a que estamos sujeitos já sofremos por antecipação. "Para ele, trabalhar demais pensando em garantir o futuro ou a estabilidade dos filhos e netos não é uma forma recomendável de se viver", afirma Dixon. "Melhor é aproveitar a vida em todos os momentos."

* Filosofia POP
* Dieta, por Epicuro
* Impopularidade, por Sócrates
* Amor, por Schopenhauer
* Morte, por Platão
* Fracasso, por Sêneca
* Excesso de Informação, por Nietzsche
* Um Pensador no Divã 

Fonte: Revista Galileu, Abril 2012 Nº 249 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

  1. Grande pensamento. Pena que nem todos compartilham desse raciocínio. Mesmo os que pensam dessa forma muitas vezes "perdem o foco" e se tornam escravos do trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Vinicius. Trabalhar é preciso, então, é preciso haver sempre essa vigilância nesse sentido, para não esquecermos de viver, também.

      Excluir
  2. otima materia....as vezes a ganancia do ter nos toma conta...devemos nos valorizar tb...para nao sermos escravos

    www.juninhoblogx.blogspot.com.br
    VIDEOS,CINEMA,MATERIAS INTERESSANTES E INTELIGENTES E

    ENGRAÇADAS TB. SOMENTE AS COISA MAIS LEGAIS DA WEB PARA

    VOCÊ! VOCÊ ENCONTRA NO JUNINHOBLOGX!

    ResponderExcluir
  3. Exatamente assim que deve-se pensar. De nada adianta trabalhar, cumprir com todas observaçoes do mês, ai olhar e ver que nos últimos 30 dias você nao aproveitou nada, nao curtiu coisas simples como ir ao cinema ou sair com a namorada.

    ResponderExcluir
  4. Um Negócio que entrei e esta me dando bons resultados é a Polishop com vc, mas não é dinheiro facil, vc tem que trabalhar, mas podera obter ótimos resultados trabalhando em casa! Acesse: http://www.polishop.com.vc/site/index.html
    e ao mesmo tempo aproveitando o tempo com sua familia

    Meu ID: tiagocecagno
    para mais informações entre em contato comigo pelo email: tiagocecagno@gmail.com

    ResponderExcluir